• clinicahopesp

Estresse na gravidez afeta a função reprodutiva masculina


Filhos de grávidas expostas a eventos estressantes, durante as primeiras 18 semanas de gravidez, podem ter contagens de espermatozoides reduzidas quando se tornam adultos, aponta um estudo publicado na revista Human Reproduction.


A pesquisa mostrou que os primeiros meses de gravidez são essenciais para a formação dos órgãos reprodutivos masculinos, período em que estão em seu estágio mais vulnerável de desenvolvimento. O estudo , feito com  643 homens jovens, com 20 anos, descobriu que aqueles que foram expostos a pelo menos um evento estressante, durante a gestação precoce (0-18 semanas), apresentaram pior qualidade espermática e menores concentrações de testosterona do que aqueles que não foram expostos ao mesmo fator estressante ou que foram expostos, durante a gestação tardia, entre 18 e 34 semanas.

Os resultados são provenientes do Raine Study, um estudo multigeracional que recrutou quase 3.000 mulheres, em sua 18ª semana de gravidez, no período entre maio de 1989 e novembro de 1991. As mães responderam questionários na 18ª  e na 34ª semanas de gestação. As perguntas incluíam eventos estressantes durante os quatro meses precedentes à gravidez. Esses eventos incluíam a morte de um parente próximo ou amigo, separação, divórcio ou problemas conjugais, problemas com filhos, perda involuntária de emprego da mãe ou do parceiro, problemas financeiros, preocupações com a gravidez, mudança de residência ou outros problemas.

Um total de 2.868 crianças (1.454 meninos) nasceram. 2.804 mães  foram acompanhadas pelos pesquisadores, fazendo deste o primeiro estudo a investigar prospectivamente as ligações entre a exposição aos eventos estressantes no início e no final da gestação e a função reprodutiva masculina em homens adultos jovens.  Ao chegarem aos 20 anos de idade, 643 homens jovens foram submetidos a um exame de ultrassonografia testicular e forneceram amostras de sêmen e sangue para análise.

Os pesquisadores descobriram que 63% dos homens foram expostos a pelo menos um evento estressante no início da gestação. Menos eventos estressantes ocorreram no final da gestação. Aqueles que foram expostos a eventos estressantes no início da gestação tiveram menor contagem de espermatozoides totais, menor motilidade dos espermatozoides e menores concentrações de testosterona do que aqueles que não foram expostos a nenhum evento estressante. Os pesquisadores ajustaram as análises para levar em conta fatores que poderiam afetar seus cálculos, como o índice de massa corporal das mães, o status socioeconômico e se as mães haviam ou não dado à luz anteriormente.

“O estudo aponta que homens que foram expostos a três ou mais eventos estressantes, durante a gestação precoce, tiveram uma redução média de 36% no número de espermatozoides ejaculados, uma redução de 12% na motilidade dos espermatozoides e uma redução de 11% nos níveis de testosterona, comparados àqueles que não foram expostos a qualquer evento estressante durante esse período”, explica a médica ginecologista e obstetra, especialista em Reprodução Assistida,  Amanda Volpato, da Clínica Hope.

Segundo os autores do estudo, somente a exposição a eventos estressantes, durante o início da gravidez, não é determinante para que um homem seja infértil por si só, mas quando adicionamos esse fato a outros fatores, ele pode contribuir para um aumento do risco de infertilidade.

Se a exposição a eventos estressantes no início da gestação é adicionada a outros fatores que afetam a fertilidade masculina, isso pode contribuir para um aumento do risco de infertilidade masculina. Esses outros fatores, predominantemente de estilo de vida, incluem excesso de peso, obesidade central, tabagismo, ingestão excessiva de álcool, pressão alta, colesterol alto, açúcar ou níveis de gordura no sangue, varicocele ou possivelmente a exposição a produtos químicos no ambiente, que interferem com os hormônios naturais, tanto antes do nascimento, como na idade adulta.

“As descobertas sugerem que um melhor suporte às mulheres, tanto antes, quanto durante a gravidez, mas particularmente durante o primeiro trimestre, pode melhorar a saúde reprodutiva de seus filhos. Os homens também devem estar cientes de que sua saúde geral está relacionada à saúde testicular, por isso devem  adotar um estilo de vida saudável para garantir que permaneçam saudáveis ​​e férteis na vida adulta”, explica a Amanda Volpato.


#infertilidademasculina

0 visualização

DICIONÁRIO DA FERTILIDADE

Verbetes, causas e tratamentos sobre o universo da fertilidade. Nosso dicionário tem tudo o que você deseja saber.

FALE CONOSCO

Dúvidas, agendamento de consultas ou sugestões?

Fale com a Hope!

E-mail: contato@clinicahope.com.br

Telefones: +55 (11) 3887-3626  // +55 (11) 3884-7949

        Whatsapp: +55 (11) 94821-6406

REDES SOCIAIS

ICON-FACE.png
ICON-INSTA.png
ICON-TWITER.png
ICON-YT.png

NOSSOS PARCEIROS

labforlife.jpg
lgenomix.jpg
ivi.png
logo_fertility.png

As informações contidas em nosso website têm caráter informativo e educacional. O conteúdo jamais deverá ser utilizado para autodiagnóstico, autotratamento e automedicação. Em caso de dúvida, o médico deverá ser consultado, pois, somente ele está habilitado a praticar o ato médico (diagnóstico, tratamento, encaminhamento de um paciente e prevenção de agravos ao mesmo), conforme orientação do Conselho Federal de Medicina.

Diretor Clínico: Dra. Amanda Volpato Alvarez - CRM 122.447 - GINECOLOGIA E OBSTETRICIA - RQE nº 25680 - REPRODUÇÃO ASSISTIDA - RQE nº 25680-1

© 2020 | Projeta Comunicação